domingo, janeiro 22, 2006

Insónias














Foto por: Hipnoz

Um cigarro a minha mão acende
Para me fazer acompanhar
De algo que me desprende
Da hora de me ir deitar.

Por entre bafejos de fumo
Relembro este dia passado
Como outros tantos por mim contado.

Reparo agora nas sombras
E no fumo que circula no ar
São imagens duras
Com quem não dá para falar

Alguém deu um nome a isto por que passo
Chamaram-lhe insónias.
E eu chamo-as todos os dias
Com elas vagueio neste espaço
São as minhas fiéis companhias

Não as desprezo
No fundo acho que as invejo
Pois sou eu que as chamo
Para fazerem parte do meu rejo.

Estão comigo sempre que reclamo
Por um pouco de companhia.
Por isso as chamei hoje.
E voltarei as chamar com certeza noutro dia





6 Comments:

Blogger Natalie Afonseca said...

Olá!!
Sabes, a tua poesia com a tua rima encaixam-se muito bem!!!
Gostei muito, mais uma vez!!
É bom ler-te!! :)

"Estão comigo sempre que reclamo
Por um pouco de companhia.
Por isso as chamei hoje.
E voltarei as chamar com certeza noutro dia"

Insónias...hum...que chatisse...hehe!
Beijinhos

23:54  
Blogger Claudia Perotti said...

A Insônia faz a gente criar maravilhas. Belíssimas as tuas letras.

Beijinhos

13:45  
Blogger BloodyMary said...

As ínsónias são muitas vezes um belo momento de reflexão, acredito eu, que sempre necessário.

Bom mais uma vez**

20:36  
Blogger Duarte Temtem said...

Caro amigo, como te percebo... Ou não fosse o meu blog o poema insone!

E o que seria de ti sem as insónias? Menos poesia certamente!

"E eu chamo-as todos os dias
Com elas vagueio neste espaço
São as minhas fiéis companhias"

Muito bom, muito bom mesmo.

Abraço xerife

05:02  
Blogger Ventry said...

Sem duvida as insonias fazem-me tambem ciumes, sao elas que mais sao chamadas... Sao umas constantes cumplices de muito o que se pensa e escreve.
Muito bom

01:07  
Anonymous Anónimo said...

This is very interesting site...
» » »

21:37  

Enviar um comentário

<< Home

..