sexta-feira, setembro 01, 2006

Algo Existe













Foto por: João Viegas

Olho os teus olhos grandes e manchados
Como se de um lago se tratasse
Onde não consigo entrar.
Agitas as águas,
Não me deixas aproximar.

Aos teus ouvidos calados
Murmuro palavras surdas,
Apenas compreendidos
Pelas tuas mãos fechadas.

Mas algo existe, como a lua
Que deixa cair seu reflexo no mar.
Tu a vês, eu a vejo.
Mas não a conseguimos chegar.
Pois embora perto, antevejo,
No presente não se encontrar.

O vento proferido
Pela negação dos teus lábios
Fazem-na dissolver.
Olhos marejados
Não voltam a se esconder.

Agora olhamos para cima,
E vemo-nos na verdade,
Enfim juntos num olhar,
Unidos por um vértice Eu, Tu e o Luar.

1 Comments:

Blogger Natalie Afonseca said...

Olá! Olá!!
Que bom "ter-te" de volta!!:)
Gostei muito deste teu poema!!
E tudo existe...

:)
beijinhos

23:36  

Enviar um comentário

<< Home

..